Dia Nacional do Congregado Mariano

O Dia Nacional do Congregado Mariano é celebrado sempre no terceiro domingo do mês de maio, portanto neste ano, no dia 15 de maio.

“É o dia que todos congregados marianos se reúnem e renovam sua consagração a Nossa Senhora”, explicou o presidente da Federação das Congregações Marianas do Rio de Janeiro, Fábio Jaques.

“O Congregado Mariano consagra sua vida de modo perpétuo e público a nossa Mãe Santíssima, a Virgem Maria”, completou o presidente.

De acordo com a programação, às 8h30 haverá a concentração na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, na Rua Clarimundo de Melo, 222, na Piedade. A procissão terá início, às 8h45, rumo à Casa do Congregado Mariano, que fica na Rua Martins Junior, 244, em Água Santa. A missa solene, às 10h, será presidida pelo bispo auxiliar Dom Tiago Stanislaw, na Capela Nossa Senhora de Fátima, que fica na entrada da Casa do Congregado Mariano.

Haverá exposição de fotos dos 40 anos da Casa do Congregado Mariano e homenagens aos congregados que celebram jubileus de consagração.

“A celebração do Dia Nacional do Congregado Mariano é aberta a todos. É uma festa linda de amor e devoção a Virgem Santíssima”, convidou Fábio Jaques, observando que quem desejar ser um congregado mariano deve procurar uma Congregação Mariana na paróquia mais próxima de sua casa”.

 

Carisma

A Congregação Mariana é composta por leigos e leigas e tem como marca principal a devoção a Nossa Senhora. O objetivo da Congregação Mariana é evangelizar, anunciando Jesus Cristo com a bênção e proteção da Virgem Maria. Ela é o modelo de todo congregado mariano que segue Jesus Cristo na ardente devoção e amor filial a Nossa Senhora.

Os Congregados Marianos podem ser reconhecidos nas reuniões e celebrações pela fita azul que pende do pescoço (em referência a Virgem Maria), em cuja extremidade está uma medalha prateada com a imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo de um lado e do outro a Santíssima Virgem Maria.

 

História

Criada em Roma, no início de 1563, por um grupo de jovens, conduzido pelo jesuíta padre Jean Leunis, que  partilhava  grande devoção por Maria e cujos membros se distinguiam por uma vida cristã e mariana fervorosa, e pela prática de diversas formas de apostolado, a Congregação Mariana acabou sendo erigida canonicamente, em 1584, pela Bula Omnipotentis Dei do Papa Gregório XIII, com o título de “Prima Primaria” (A Primeira).

Desde então, a Congregação Mariana abraça gerações, continua crescendo e deixando sua marca. Em 1748, com a Bula áurea Gloriosae Dominae, o Papa Bento XIV enriqueceu as Congregações Marianas com especiais privilégios. Em 1948, no segundo centenário da mesma Bula, o Papa Pio XII, pela Constituição Apostólica Bis Saeculari (BS), deu às Congregações Marianas o que passou a ser sua Carta Magna.

Em 1967, no impulso renovador que aconteceu nas associações religiosas após o Concílio Vaticano II, a Federação Mundial das Congregações Marianas, reunida em Roma, propôs novas Normas Gerais, e que foram se modificando ao longo dos anos, sendo a última atualização aprovada pelo Pontifício Conselho para os Leigos, em 3 de dezembro de 1990.

 

Da Redação

Categorias