Geminação do Cristo Redentor, do Corcovado, com o Cristo Luz, de Balneário Camboriú

Na mesma semana em que o Cristo Redentor do Morro do Corcovado, no Rio de Janeiro, foi reconhecido como um dos marcos culturais mais buscados no mundo, segundo levantamento realizado pelo Google, o monumento ao Cristo Redentor faz a primeira Geminação com um monumento de outro estado brasileiro.

No dia 15 de dezembro, um show do Grupo Dó Ré Mi, juntamente com o padre Omar Raposo, no Cristo Luz, em Balneário Camboriú (SC), selou a Geminação do Cristo Redentor do Corcovado, porta de entrada do turismo brasileiro e fomentador de oportunidades na área da Cultura, com o Cristo Luz, uma das imagens mais conhecidas da região Sul do Brasil, que é atração por suas luzes multicoloridas.

Na ocasião, estiveram presentes Mário Pretto, idealizador e diretor do Complexo Turístico Cristo Luz, o reitor do Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor, padre Omar Raposo, o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, além de outras autoridades civis, representantes de entidades locais, trade turístico, imprensa e amigos e convidados.

A partir da Geminação, os monumentos passaram a se conectar com parcerias nas áreas de Turismo, Cultura, Desenvolvimento Sustentável e Social. Assim como já foi realizada com o Santuário de Cristo Rei, em Portugal, o Cristo Redentore di Maratea, na Itália, o Cristo del Otero, na Espanha, e o Cristo Redentor de Itaperuna, a Geminação do Cristo Redentor do Corcovado com o Cristo Luz tem como objetivo partilhar experiências e ampliar ainda mais a parceria entre ambos os lugares.

“Quando olhamos para o monumento ao Cristo Redentor, logo vemos os seus braços abertos, acolhedores e generosos. Mas, entre os braços, aos olhares mais atentos, sobressai a imagem do seu Sagrado Coração. Uma reflexão mais atenta revela o sentido do coração, centralizado, articulando o gesto acolhedor. O Cristo Redentor, no Corcovado, se alegra em admitir essa importante parceria. Viva o Cristo Luz! Viva o Cristo Redentor!”, destacou o reitor do Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor, padre Omar.

“O monumento Cristo Luz há 25 anos vem iluminando nossa cidade e todos que a visitam. Como sempre, citamos o versículo João 8,12: ‘Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; mas terá a luz da vida’, que através dessa luz, trazemos a nossa lembrança o legado que Jesus Cristo nos deixou de humildade, compaixão, fé e amor. É gratificante neste ano poder celebrar essa data, fazendo a geminação com o Cristo Redentor, um imponente e histórico monumento para o país e para o mundo”, afirmou Mário Luiz Pretto, idealizador e diretor do Complexo Turístico Cristo Luz.

 

Sobre o Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor do Corcovado

Símbolo nacional do país, o Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor é um espaço originalmente sagrado, que contou com grande participação dos fiéis e empenho da população do Rio de Janeiro para a sua construção. Para ele afluem pessoas de todos os povos e culturas. A elas, o Cristo Redentor acolhe, de braços abertos, para que sua presença real, em corpo e sangue, alma e divindade, viva na Capela Nossa Senhora Aparecida, toque seus corações. É lugar de celebrações cultuais e culturais, de caridade, de cultura, de diálogo ecumênico e inter-religioso, de peregrinação e de desenvolvimento sustentável.

Atribui-se a ideia original da construção de uma imagem de Jesus Cristo sobre o Monte Corcovado ao sacerdote lazarista francês Pierre-Marie Bos. Esse missionário chegou ao Brasil em 1859, sendo designado capelão da igreja do Colégio da Imaculada Conceição, no Rio de Janeiro, no bairro de Botafogo, local com vista privilegiada para o Corcovado. Em 1888, a Princesa Isabel, que frequentava a Igreja da Imaculada Conceição, assinou a Lei da Abolição da Escravatura, e quiseram homenageá-la com uma estátua no alto do Monte Corcovado. Todavia, a princesa reclinou este pedindo que a estátua deveria ser dedicada a Jesus, que para ela era o “verdadeiro Redentor dos homens”. Contudo, a Proclamação da República, em 1889, cancelou temporariamente os planos da construção.

Em 1921, nos preparativos para o Centenário da Independência, um grupo de leigos chamado “Círculo Católico” lançou novamente a ideia da construção, que foi prontamente acolhida pela Arquidiocese do Rio de Janeiro, sob a liderança de Dom Sebastião Leme. O projeto vencedor foi do engenheiro carioca Heitor da Silva Costa, que contou com a colaboração do pintor Carlos Oswald, do escultor francês Paul Landowski e os cálculos estruturais do engenheiro francês Albert Caquot. O monumento, com 38 metros de altura, foi erguido com doações do povo brasileiro, entre 1926 e 1931, sendo inaugurado com a bênção do Cardeal Leme, na presença do chefe de governo Getúlio Vargas, no dia 12 de outubro de 1931. Em 2006, no 75° aniversário da inauguração do monumento, o platô do Monte Corcovado foi reconhecido como um lugar sagrado, recebendo, por decreto de Dom Eusébio Scheidt, o título de Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor do Corcovado.

 

Sobre o Cristo Luz

O Cristo Luz está localizado no município de Balneário Camboriú, no Estado de Santa Catarina. O monumento foi inaugurado no dia 4 de outubro de 1997, em uma parceria entre a iniciativa privada e pública, tornando-se umas das principais opções turísticas de Balneário Camboriú. Na ocasião, o Papa João Paulo II estava em visita ao Brasil, e abençoou o monumento, que é um sinal da luz de Deus em meio à cidade. Também no dia 12 de outubro de 1997, o então arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis, Dom Eusébio Oscar Scheid, celebrou uma grande missa no Cristo Luz pelo Dia de Nossa Senhora Aparecida.

Localizado em um dos pontos mais altos de Balneário Camboriú, o Cristo Luz foi esculpido em argamassa e construído em ferro, aço e cimento. Segura na mão esquerda o símbolo do sol, iluminando e abençoando a cidade e os turistas. A roupagem do monumento, em estilo franciscano, também fica iluminada através de um jogo de luzes especial, o que permite sete combinações de cores, alternadas diariamente, e que podem ser vistas de diversos pontos da cidade. As luzes se acendem a partir das 19h. Cada cor tem uma representação simbólica. O rosto do monumento permanece branco, representando a paz e a fé. Na roupagem, a cor amarela representa a energia; a verde, a natureza; a azul, a saúde; a lilás, a reflexão; a vermelha, o amor, e a rosa simboliza a felicidade.

Assim sendo, a presença dos fiéis nesse espaço ressalta o aspecto religioso, tornando-se não apenas um lugar de turismo, mas de peregrinação e de fé. Desse modo, o Cristo Luz reveste-se de um caráter fortemente eclesiástico, e a Geminação com o Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, é uma forte demonstração da comunhão de fé e de amor existente entre todos aqueles que visitam os monumentos dedicados a Jesus, reconhecido por todos como Mestre da Paz e do Amor.

 

Luis Alberto Torres e Renato Saraiva 

Comunicação – Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor

 

Categorias