Dom Orani preside a milésima celebração de Batismo no Santuário Cristo Redentor

O Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor, no Corcovado, realizou a milésima celebração do Sacramento do Batismo, na manhã do dia 12 de dezembro, presidida pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta.

Logo no início da celebração, Dom Orani, os padres Ramon Nascimento da Silva e Alexandre Carvalho Lima Pinheiro e os familiares das crianças que foram batizadas, atendidas pelo Setor Cristo Sustentável do Santuário, foram recebidos pelo reitor, padre Omar Raposo.

“Nesta manhã feliz, com um sol maravilhoso, Dom Orani vem presidir a milésima e histórica celebração de Batismo. Da colina do Corcovado veremos o céu se abrir e o Espírito descer sobre nós. Uma unção que o Senhor concede a todos nós”, disse padre Omar.

Segundo observou padre Omar, as várias atividades que são realizadas, como celebrações eucarísticas, confissões, peregrinações, paraliturgia, vigílias, a Oração do Ângelus e o turismo religioso, “fortalecem e consolidam o Santuário Cristo Redentor na sua dimensão religiosa que tanto fundamenta nossa estada no Corcovado, como um dia pensou o construtor do monumento, Cardeal Sebastião Leme”.

 

Filiação divina

Após a proclamação do Evangelho, Dom Orani dirigiu sua mensagem aos familiares, padrinhos e familiares das crianças batizadas, afirmando que “o Batismo é um sacramento importante na iniciação à vida cristã, a porta de entrada na Igreja e na caminhada rumo à eternidade, um novo nascimento na água e no Espírito Santo”.

O arcebispo lembrou que no momento do Batismo a criança não vai entender nada por causa da idade, mas que os pais, padrinhos e a família são convidados a fazer a sua parte.

“A Igreja batiza a criança em vista da fé de seus pais, padrinhos e da família. Da mesma forma que a criança aprende a linguagem, os costumes da família, o jeito de ser e a cultura de onde vivem, assim também deve acontecer na dimensão da fé, quando os familiares devem ensinar a criança a buscar a Deus, a rezar, a encontrar-se com Jesus Cristo no dia a dia da vida em família”, disse.

Dom Orani observou que “diferente do passado, os tempos atuais não facilitam a educação na fé, mas cabe a família fazer a sua parte, de maneira especial, pelo exemplo de vida cristã”, acrescentando que um dos exemplos é a “participação da família na vida da comunidade paroquial”.

O arcebispo lembrou que a “Igreja procura ajudar, por meio das celebrações eucarísticas, da catequese, dos sacramentos e da liturgia, os pais e padrinhos a serem os primeiros catequistas da criança”. E acrescentou: “mais tarde, quando as crianças tiverem o uso da razão, os pais devem encaminhá-las à catequese para aprenderem a conhecerem a Deus e a buscar Jesus Cristo”.

“Pelo Batismo, os filhos tornam-se filhos de Deus, podem chamar a Deus de Pai, passam a fazer parte da Igreja e serem herdeiros do céu. A Igreja é integrada pelos batizados, povo de Deus, que aceitaram e seguem Jesus Cristo como discípulos missionários”, disse.

Dom Orani destacou que as crianças batizadas fazem parte da milésima celebração realizada no Santuário Cristo Redentor, cujo monumento é um simbólico cristão para a cidade, o Brasil e o mundo.

“Assim como o monumento é uma imagem do Redentor na sociedade, cada criança batizada, pelo dom que recebeu do Senhor, deve ser um sinal do amor de Deus para o mundo”. Na conclusão, o arcebispo disse: “A vida de fé dos filhos no futuro depende das sementes que hoje são plantadas e que, pela ação da chuva da graça de Deus ao seu tempo, irá nascer, brotar, crescer e dar frutos”.

 

Carlos Moioli

Categorias