Missão foi o centro das discussões da Assembleia do Regional Leste 1

Foi realizada de 17 a 19 de novembro, no Centro de Estudos do Sumaré, no Rio de Janeiro, a 20ª edição da Assembleia do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), sob a direção da presidência: presidente, Dom José Francisco (arcebispo de Niterói); vice-presidente, Dom Gilson Andrade (bispo de Nova Iguaçu); e secretário, Dom Tarcísio Nascentes (bispo de Duque de Caxias).

Além dos bispos titulares e auxiliares das dioceses do Estado do Rio Janeiro, participam da Assembleia os coordenadores diocesanos de pastoral, os vigários gerais e dois representantes leigos de cada Igreja Particular, sendo um da Pastoral Vocacional e outro da Comissão do Sínodo. E ainda todos os coordenadores regionais das pastorais, movimentos, organismos, associações, ou seu representante, e os padres assessores.

O tema que serviu de pano de fundo para as exposições, ao longo dos três dias, foram “Por uma Igreja missionária” – Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lucas 24,32s). No início da Assembleia, foi lida a Carta à Igreja no Brasil sobre o caminho sinodal para as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora.

“Neste ano, nosso objetivo será fazer ecoar o processo sinodal de escuta percorrido pelas nossas Igrejas Particulares, colhendo os frutos para o caminho regional. Além disso, queremos refletir sobre a Campanha da Fraternidade 2023 e sobre o 3º Ano Vocacional do Brasil”, disse o presidente do Regional Leste 1, Dom José Francisco Rezende Dias, que presidiu a missa de abertura da Assembleia.

A Assembleia marcou a retomada definitiva das atividades dos organismos que, ao longo do período da pandemia, foram realizadas no formato online ou de forma abreviada. O primeiro dia de Assembleia foi concluído com a pré-estreia do filme “Madre Teresa – Amor maior não há”, trazido para o Brasil pela produtora Kolbe Art.

No segundo dia da Assembleia, a missa foi presidida pelo bispo de Barra do Piraí e Volta Redonda, Dom Luiz Henrique da Silva Brito, que recordou na homilia a Festa da Dedicação das Basílicas de São Pedro e São Paulo, destacando a Visita Ad Limina Apostolorum realizada pelos bispos do Regional no mês de outubro.

Na intenção da celebração, estavam também o centenário da Diocese de Barra do Piraí e Volta Redonda e os 20 anos de criação da Administração Apostólica Pessoal de São João Maria Vianney, em Campos.

No terceiro dia, a missa de encerramento foi presidida pelo vice-presidente do Regional, Dom Gilson Andrade, que na homilia evidenciou o modelo de pastoral que deve ser adotado, tendo como base a Carta Apostólica Novo Millennio Ineunte “O Primado da Graça” escrito pelo Papa São João Paulo II e retomado pelo Papa Francisco na Exortação Apostólica Evangelli Gaudium. “Devemos cada vez mais optar por uma pastoral que tenha espaço para a oração e o agir de Deus”, disse.

 

Pistas de ação

Fechando os trabalhos da 20ª Assembleia Regional, foram apresentadas as setes pistas de ação pastoral sintetizadas pela equipe formada pelo padre Douglas Fontes, secretário-executivo do Regional Leste 1; o padre Alcindo Martins Milena, do clero da Diocese de Duque de Caxias; e o membro da Equipe Sinodal da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Guilherme Brandi, que também ficou responsável por apresentar, posteriormente, a Síntese do Sínodo para o Regional, com base nas Sínteses das Diocese do Estado do Rio de Janeiro.

Essas pistas de ação são destinadas às Igrejas Particulares do Regional, para que colaborem na elaboração dos seus planos e projetos de pastoral, bem como para a ação pastoral das Comissões do Regional Leste 1.

  1. Comprometer, a partir do Ano Vocacional, as comunidades eclesiais missionárias a vivenciar a cultura vocacional, valorizando a vocação batismal, as vocações e os ministérios específicos;
  2. Enfatizar novamente a opção preferencial pelas juventudes, a partir das suas realidades, acolhendo-as e compreendendo-as, caminhando ao seu lado, acendendo estrelas nas suas noites e concretizando a Civilização do Amor;
  3. Aprofundar a Teologia da Sinodalidade, de modo a encarná-la na vida das comunidades, fortalecendo os vínculos entre os cristãos, não-cristãos e com a sociedade em geral;
  4. Fortalecer os diversos conselhos e assembleias, promovendo a comunhão e participação para a missão;
  5. Defender e promover a vida, da concepção ao fim natural, sendo Igreja Samaritana e Misericordiosa a favor das gestantes e seus filhos, dos enfermos, dos pobres e marginalizados;
  6. Fomentar o testemunho cristão, por meio de uma cultura da acolhida e escuta afetivas e efetivas, realçando o rosto amoroso da Mãe Igreja;
  7. Favorecer sempre, na vida familiar e eclesial, o processo da Iniciação à Vida Cristã com itinerário catecumenal, gerando discípulos missionários para uma Igreja Sinodal.

 

Carlos Moioli

Fonte: Regional Leste 1 da CNBB

 

Categorias