Pastoral do Surdo celebra 21 anos de presença na Paróquia São João Bosco, no Riachuelo

O aniversário de 21 anos de fundação da Pastoral do Surdo, presente na Paróquia São João Bosco, no Riachuelo, foi comemorado com uma Visita Missionária no dia 20 de novembro.

Segundo o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped), professor Cesar Bacchim, a Pastoral do Surdo nesta paróquia teve início há 21 anos, com a professora Orquídea Bahia, já falecida.

“Grande catequista e fonoaudióloga, ela atuou por décadas no Instituto Nossa Senhora de Lourdes, na Gávea. Exerceu forte liderança na comunidade de surdos nas décadas de 1980 e 1990. A longa caminhada de 21 anos é fruto desta genuína evangelizadora dos surdos no Rio de Janeiro. A Visita Missionária foi, sem dúvida, um recordar de gratidão e saudosa memória desta mulher forte e missionária”, disse o professor Cesar Bacchim.

A primeira parte da Visita Missionária aconteceu com a partilha do lanche, como é o costume dos surdos.

O coordenador arquidiocesano da Pasped, professor Cesar Bacchim, fez uma reflexão sobre a solenidade de Cristo, Rei do Universo, enfatizando o texto do Evangelho dominical em que narra o diálogo dos dois ladrões ao lado de Jesus, pregado no madeiro. Ele destacou a figura de Cristo, que apresenta seu reinado de justiça e paz, sem o poderio de riquezas, fama ou domínio sobre os povos e nações.

“Jesus Rei é acolhedor e misericordioso. Ele sonda e perscruta o coração de todo ser humano e lá conhece, na intimidade, a verdade de cada um”, disse o coordenador da Pasped.

Também houve uma reflexão sobre o Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro. Alguns surdos e ouvintes testemunharam experiências em que foram discriminados pela cor da pele, ao longo de suas trajetórias humanas. E ainda, a valorização da formação de valores e virtudes oriundas das famílias, e o papel das escolas e da Igreja na missão de formar homens e mulheres mais fraternos e menos excludentes.

O diácono Gabriel da Silva Pereira, que exerce o ministério na mesma paróquia, trouxe uma breve reflexão sobre o encerramento do Tempo Comum e já às portas, o novo tempo da Igreja, o Advento.

A Visita Missionária foi concluída às 14h, presidida pelo pároco, padre João, da Comunidade Sementes do Verbo, e contou com as presenças dos diáconos Gabriel da Silva Pereira e José Ferreira Conceição.

Padre João partilhou, em sua homilia, que conheceu uma comunidade de surdos quando morou na França e aprendeu a Língua de Sinais Americana (ASL), portanto diferente da Libras, usada no Brasil. Fez uma saudação em Libras e, com sua empatia e sorriso, cativou o coração e os olhos dos surdos.

Estiveram presentes, junto à Pastoral do Surdo da paróquia, as comunidades da Arquidiocese do Rio de Janeiro situada nos bairros da Lagoa, Tijuca, Méier, Penha e Pavuna, e das Dioceses de Nova Iguaçu (Catedral de Santo Antônio de Jacutinga) e da Diocese de São João de Meriti (Paróquia São João Batista, em Meriti).

A próxima e última Visita Missionária de 2022 será à Paróquia Bom Jesus, na Penha, no dia 11 de dezembro. Neste dia será entregue a Programação Anual das Atividades de 2023.

 

Da Redação

Categorias