Seminário da Pasped marca o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência na Arquidiocese do Rio de Janeiro

“A acolhida da pessoa com deficiência na Igreja” foi o tema do 7º Seminário Arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped), realizado no dia 3 de dezembro, na sede do Sodalício da Sacra Família, no bairro da Tijuca, cuja finalidade é acolher moças cegas.

O evento foi realizado para comemorar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência na Arquidiocese do Rio de Janeiro, e o tema esteve em sintonia com a preocupação e zelo apostólico do Papa Francisco pelas pessoas com deficiência.

No evento iniciou -se com um café da manhã, seguida de acolhida a todos os presentes. O coral das moças cegas ajudou-nos a rezar com os textos do tempo do Advento. Todo esse momento de espiritualidade foi preparado pela Irmã Xislei e Rosa e Ana, membros do Movimento Ecumênico da Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência”, disse o coordenador arquidiocesano da Pasped, professor Cesar Bacchim.

O bispo referencial da Pasped, Dom Paulo Celso Dias do Nascimento, que pode estar presente no evento, enviou uma mensagem em vídeo. Ele agradeceu a presença da Pasped na arquidiocese e em nome de Dom Orani João Tempesta acolheu os participantes do evento com coração aberto e pedia força de Deus para que a Pasped continue a perseverar no seu testemunho e no serviço na Igreja.

“O momento da Catequese Diferenciada que nos apresentou o processo de inclusão de jovens e adultos com algum transtorno intelectual. João da Costa e a catequista Gil, do bairro Vaz Lobo nos trouxeram experiências ricas da comunidade contanto com o apoio do padre Niraldo dos Santos e de toda a comunidade”, destacou o professor Cesar Bacchim.

No momento da Pastoral do Surdo, o atual coordenador Regional Leste 1, Alexandre da Silva trouxe a reflexão sobre a Igreja inclusiva e sinodal com breve histórico da fundação e o conceito de sinodalidade, desafio para as pastorais e para toda a Igreja de hoje.

A advogada Débora Prates apresentou os desafios dos cegos na sociedade e de modo particular no mundo jurídico. O preconceito estrutural da sociedade julga e exclui a pessoa cega, dificulta à acessibilidade e a atuação com suas qualidades e talentos em diversos espaços.

 

A coordenadora da Pastoral do Cego, Antonia de Maria recordou os avanços, pela força da Lei no Brasil, os cegos têm amis autonomia: as mídias sociais e o celular, toda a correspondência nacional ou internacional ligada à pessoa cega é gratuita em todas as agências dos Correios.

Para finalizar, a intérprete Margareth Lessa, da Comunidade Coração de Maria do bairro do Méier, deu seu testemunho no ministério nas comunidades de surdos.

Também foi apresentada a mensagem do Papa Francisco pelo Dia da Pessoa com Deficiência.

Como culminância da celebração, foi nos oferecido uma saborosa feijoada preparada pela comunidade religiosa.

 

Da Redação

 

Categorias