Abertura e acolhida: 32ª edição do Curso Anual dos Bispos do Brasil

32º CURSO PARA BISPOS

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

23-27 janeiro 2023

Centro de Estudos do Sumaré

ABERTURA E ACOLHIDA

 

 

Prezados Irmãos no episcopado e no sacerdócio,

Com grande alegria recebo a todos, na abertura deste 32º Curso para Bispos da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, agora novamente presencial, depois de dois anos em formato online, devido à pandemia. O retorno a esta modalidade tradicional do nosso encontro proporciona uma maior interação entre os conferencistas e participantes, com melhor aproveitamento da partilha de conteúdos e experiências. Não podemos esquecer, também, do sentido de colegialidade, experimentado concretamente na convivência fraterna, da qual todos temos saudade, além de um merecido descanso em terras cariocas. Como é praxe não temos nenhum compromisso de chegar a conclusões ou decisões. As conferências e os debates servem para nos motivar ao aprofundamento. Os conferencistas nacionais e internacionais nos ajudam na reflexão e cada um terá suas próprias conclusões.

O tema foi escolhido devido às demandas e questionamentos acontecidos no curso do ano passado, e que vamos desenvolver nestes dias, é “Novas Comunidades e a Evangelização hoje”. Penso que a escolha foi muito acertada e realmente sensibilizou uma boa parte do nosso episcopado, pois tivemos quase 100 bispos inscritos, embora alguns tiveram de desmarcar suas vindas devidos a várias questões. O nosso Curso pretende nos apresentar uma perspectiva muito importante, pois trará uma riqueza de informações que nos auxiliarão em nossos trabalhos para fomentar e pastorear as novas comunidades que se encontram em nossas Igrejas particulares.

Conforme já havia expressado em nossas cartas, pelas quais os convidamos a participarem do nosso Curso, nossa proposta “é apresentar e estudar o tema não exclusivamente de forma teórica, baseada em definições e determinações, mas também a partir de algumas realidades brasileiras. Claro que são limitadas, pois ço universo das novas comunidades em nosso país é imenso. Uma dinâmica de partilha e escuta sobre essas experiências poderá ser muito enriquecedora para o nosso ministério.”

A Igreja reconhece aos fiéis, em virtude do batismo, o direito de associação e protege sua liberdade de fundar e dirigir. Entre as várias formas de concretização deste direito, encontram-se as associações de fiéis (cf. cân. 215; 298-329 do Código de Direito Canônico ), que, sobretudo a partir do Concílio Vaticano II, viveram um período de grande florescimento, trazendo à Igreja e ao mundo contemporâneo abundância de graças e frutos apostólicos.

Na esteira do Concílio Vaticano II, que reconheceu no apostolado laical organizado uma expressão da vocação missionária e da responsabilidade dos fiéis leigos (cf. Apostolicam actuositatem , 1, 18-19), São João Paulo II viu nas agregações de fiéis a essência da própria Igreja: “tornar presente no mundo o mistério de Cristo e a sua obra salvífica” (Mensagem aos participantes do Congresso Mundial dos Movimentos Eclesiais, 27 de maio de 1998).

Com intuição profética, São João Paulo II, dirigindo-se aos movimentos eclesiais por ocasião da Vigília de Pentecostes do ano de 1998, lançou-lhes um novo desafio: “Hoje se abre diante de vós uma nova etapa: a da maturidade eclesial. Isso não significa que todos os problemas foram resolvidos. É, antes, um desafio. Um caminho a seguir. A Igreja espera de vós frutos “maduros” de comunhão e compromisso”. (Discurso aos movimentos eclesiais e novas comunidades na Vigília de Pentecostes , 30 de Maio de 1998).

Os Papas que sucederam São João Paulo II também se dedicaram a esse tema, de modo que, em nossos dias, constatamos um zelo pastoral por essas novas formas de associação dos leigos que precisamos não apenas ampliar com coração paterno, mas também com o conhecimento necessário para bem orientar essa grande parcela do rebanho do Senhor.

Desejo expressar, neste momento, nossa gratidão a todos os conferencistas que se dispuseram a compartilhar conosco seu saber e experiência, neste Curso. Neste curso queremos fazer memória do primeiro conferencista que abriu este evento à qual faço menção, com reverente e grata memória, o saudoso Papa Emérito Bento XVI, que estará para sempre ligado ao nosso Curso. Na época Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o Cardeal Joseph Ratzinger nos deu a honra de ser conferencista na primeira edição do Curso para Bispos da nossa Arquidiocese (O múnus petrino e a Igreja no final deste milênio – que se transformou em artigo e em livro). Mais tarde ele viria também aqui para um curso do CELAM. Sobre esses detalhes e homenagens versará a nossa última conferência deste ano.

Sobre a questão das novas comunidades, podemos lembrar a palavra de Bento XVI aos Bispos participantes do seminário de estudo promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos, em 17 de maio de 2008), quando ele explorou as implicações desta nova fase de maturidade eclesial apontando, como forma de compreender adequadamente as agregações dos fiéis à luz do desígnio de Deus e da missão da Igreja, uma comunhão mais madura de todos os componentes eclesiais, porque todos os carismas, respeitando a sua especificidade, podem contribuir plena e livremente para a edificação do único corpo de Cristo.

Neste ano, temos a participação do ilustre Cardeal da Santa Sé, Prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, o Cardeal Kevin Farrell, que estará conosco na tarde de amanhã para nos falar sobre “Desafios e caminhos: uma visão do Dicastério responsável pelas Novas Comunidades”.

Por outro lado, lamentamos a ausência de Dom Edgar Peña Parra, Substituto na Secretaria de Estado, que precisou desmarcar sua vinda ao Rio de Janeiro para proferir uma conferência em nosso Curso devido à mudança de data da viagem do Santo Padre à Africa e que ele necessita de assessorar.

Manifesto nossa gratidão ao apoio da CNBB a este evento, na pessoa de seu Secretário Geral Dom Joel Portella Amado, que acompanha e coordena o Curso conosco. Nesse sentido agradecemos a D. Karl Josef Romer os anos em que coordenou este curso.

Outro irmão no episcopado que nos falará nestes dias é Dom Antônio Luiz Catelan Ferreira, nosso Bispo Auxiliar e membro da Comissão Teológica Internacional, que nos falará sobre “As novas comunidades e a relação entre os dons carismáticos e os dons hierárquicos: eclesiologia e pastoral a serviço do Evangelho” e encerrará o nosso Curso com “As Conferências do Cardeal Josef Ratzinger no 1 Curso para Bispos (1990)”.

Agradecemos, também, a disponibilidade do grande canonista, Mons. Luís Navarro, Reitor da Pontifícia Universidade da Santa Cruz, em compartilhar conosco seu conhecimento sobre o tema do nosso Curso, através de duas conferências relativas “As novas comunidades eclesiais: sua colocação na Igreja e no Direito” e “Sacerdotes e novas comunidades”.

Ao citar a disponibilidade do Mons. Luis Navarro, quero destacar que ele está nos prestando uma inestimável colaboração nas questões ligadas às Novas Comunidades, ao longo de todo o dia de hoje. Desde a manhã até a tarde desta 2ª feira, tivemos uma Jornada de Estudos Canônicos dedicada aos leigos representantes de associações, movimentos e novas comunidades da nossa Arquidiocese e do Regional Leste 1, constando de quatro palestras do Mons. Navarro. De público, expresso a ele nossos agradecimentos.

Também registro a participação importante para o desdobramento do nosso tema, como do Pe. Alexandre Awi Mello, ex Secretário do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, e hoje superior geral dos padres de Schoenstatt, que nos falará sobre “Acompanhamento e integração das novas comunidades”.

Dom Roberto Lopes, Abade beneditino emérito e nosso Vigário Episcopal para os Institutos de Vida Consagrada, Sociedades de Vida Apostólica, Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades e também responsável pelo escritório da Causa dos Santos de nossa arquidiocese que nos relatará o “Panorama de um fenômeno nos Movimentos e novas comunidades”.

Ao tratamos do tema das novas comunidades, nada mais oportuno do que conhecermos dois relatos de experiências específicas sobre novas comunidades, que serão compartilhados conosco pelo Pe. Geovane Ferreira Silva, Fundador e Moderador da Associação Filhos da Preciosa Vida, e de Moysés Louro de Azevedo Filho, Fundador e Moderador Geral da Comunidade Católica Shalom, no “Painel com Fundadores”, e com D. Gilson Andrade, D. Wellington Queiroz e D. Wilson Tadeu Painel, no “Painel com Bispos”. No dia do passeio iremos visitar in loco um trabalho das novas comunidades em nossa cidade dentro da realidade de hoje do shopping center. Iremos a um deles, mas as demais experiências estarão presentes para partilhar as várias situações de evangelização.

Finalizo apresentando a todos os irmãos aqui presentes nossas boas-vindas, em meu nome e também em nome da Coordenação do Curso, cuja equipe tem trabalhado incessantemente para lhes oferecer o que pudemos realizar de melhor, a fim de que tenham dias fecundos, motivadores e agradáveis entre nós. Menciono, além de D. Joel, o caríssimo Con. Cláudio dos Santos, nosso coordenador de pastoral.

O Espírito Santo nos assista na unidade, na partilha e na aquisição de conhecimentos para que tudo seja colocado a serviço da Igreja e para o bem do povo de Deus.

Espero que tenham um bom descanso aqui no Rio de aproveitem deste tempo de aprofundamento. Boa noite e bom curso para todos.

 

Cardeal Orani João Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro

Categorias