Círio de Nazaré no Rio de Janeiro: ‘Maria, Mãe e Mestra’

Foi realizado, de 11 a 14 de agosto, o 14º Círio de Nazaré na Arquidiocese do Rio de Janeiro, com o tema: “Maria, Mãe e Mestra”. A imagem da Rainha da Amazônia veio de Belém do Pará, conduzida pelo reitor da Basílica de Nazaré, padre Francisco Assis Maria de Oliveira, e foi recepcionada pelo arcebispo metropolitano, Cardeal Orani João Tempesta, na Base Aérea do Galeão.

“Maria, que é mãe, continua a interceder por nós junto de Jesus, assim como fez nas Bodas de Caná: ‘Eles não têm mais vinho’. Ela conhece as nossas necessidades e sabe que Jesus pode transformar as realidades. Maria é mãe, mas também é mestra, e nos ensina a ‘encher as talhas de água’, e com as bênçãos de Seu Filho a água será transformada em vinho”, disse Dom Orani.

“É muito simples fazer com que a água se transforme em vinho”, observou o arcebispo, “é só ouvir a Palavra do Senhor e a colocar em prática”. Foi o que Maria ensinou aos serventes: ‘Fazei tudo o que Ele disser’. O vinho novo, mais que o simbolismo da Nova Aliança, e ter a vida transformada, e assim a possibilidade de enxergar a beleza da vida e desejar novos tempos”, acrescentou.

Durante os quatro dias, a imagem peregrina, conduzida pelo arcebispo e acompanhada por comitiva, percorreu 18 locais em vários cantos da cidade, contemplando comunidades paroquiais e instituições relacionadas com a devoção nazarena. Também esteve presente em três eventos arquidiocesanos e também no Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão, e na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, no Centro,  pela primeira vez.

Durante os vários encontros, Dom Orani destacou que a cidade de Nazaré está ligada à Sagrada Família. Junto com Maria e José, Jesus viveu até o dia em que começou seu ministério itinerante. Em Nazaré, ele foi obediente aos seus pais, esteve em contato com seus familiares, primos e parentes, e também frequentou a sinagoga para louvar e ouvir a Palavra de Deus.

“Nós sabemos da importância e do valor de uma família unida. Por isso, pedimos a Deus por todas as famílias de nossa cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro para que sejam fortalecidas e iluminadas pela graça de Deus. Para que as nossas famílias, por ocasião da visita da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, possam fazer a mesma experiência de comunhão da Sagrada Família de Nazaré”, disse.

O tema do Círio de Nazaré, em Belém, segundo Dom Orani, foi adotado no Rio de Janeiro para recordar que Maria é mãe e foi dada pelo próprio Jesus no alto da Cruz: “Eis aí a tua mãe”, e também é mestra por ensinar a ouvir seu Filho e fazer a vontade de Deus nestes tempos onde as pessoas passam por vicissitudes com relação à pandemia, desemprego violências, divisões em família e polarizações na sociedade.

“Ainda hoje, precisamos do auxílio de Maria: ‘Eles não têm mais vinho’. Há um certo cansaço por causa de situações que machucam nosso povo, que passa pela dor, sofrimento e até fome. Maria, nossa mãe e mestra, que tem a missão de apresentar Jesus, nos ensine a reconhecer a presença de Deus no meio de nós, e que com a sua intercessão possamos viver com dignidade”.

 

Carlos Moioli

 

Categorias