Dom Orani erige e instala no Recreio dos Bandeirantes a Paróquia São Tarcísio

“Louvamos a Deus por este momento bonito e histórico que estamos vivendo com a criação e a instalação da Paróquia São Tarcísio. Ao criar uma nova paróquia multiplicamos a presença da Igreja para levar adiante o trabalho de evangelização”, disse o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, ao erigir e instalar a nova paróquia, no Recreio dos Bandeirantes, no dia 8 de julho.

“Ao sermos confirmados na fé, sejamos mais animados na ação evangelizadora e a contemplar que o Senhor vai conduzindo a nossa vida e história”, completou o arcebispo, e agradeceu especialmente ao pároco da Paróquia Imaculada Conceição, situada também do Recreio dos Bandeirantes, padre André Vilar de Moraes Martins, pelo trabalho pastoral realizado e pelo carinho com que preparou a comunidade para ser tornar uma nova paróquia.

A Paróquia São Tarcísio, situada na Rua Athos Bulcão, 48, no Recreio dos Bandeirantes, pertencente à 3ª Forania do Vicariato Jacarepaguá, é a paróquia de número 284 da Arquidiocese do Rio de Janeiro e 33ª do governo de Dom Orani. Uma ‘filha’ da Paróquia Imaculada Conceição, no Recreio dos Bandeirantes, ela também foi desmembrada das paróquias São Pedro do Mar, no Recreio dos Bandeirantes, e São Sebastião, em Vargem Grande.

Na mesma celebração foi dada a posse do primeiro pároco, padre Francisco Reinaldo Gonçalves Oliveira, e apresentado o vigário paroquial, padre André Luiz Oliveira dos Santos. Entre os concelebrantes estavam os bispos auxiliares Dom Tiago Stanislaw e Dom Roque Costa Souza, animador do Vicariato Jacarepaguá, que deu a sugestão de transformar a nova paróquia – já que São Tarcisio é padroeiro – num centro de peregrinação dos coroinhas, cerimoniários e ministros da Sagrada Comunhão.

 

Rito de posse

Logo no início da celebração, o vigário episcopal do Vicariato Jacarepaguá, padre Alan Dias de Oliveira, leu o decreto da criação da nova paróquia e da provisão do pároco.

De acordo com o rito de posse extraído do Pontifical Romano, padre Francisco Reinaldo fez a profissão de fé e o juramento de fidelidade.
“O juramento de fidelidade é a busca da comunhão entre nós. Somos chamados a viver a comunhão e unidade na mesma fé, costumes e preocupações. É uma maneira de todos nós evangelizarmos pelo testemunho de vida comum, na fraternidade, mesmo com nossas dificuldades e fragilidades. A comunidade paroquial ao ver seu pastor viver em comunhão com a Igreja também vive a comunhão com seu pastor”, explicou Dom Orani.

Das mãos do arcebispo, padre Francisco Reinaldo também recebeu a estola e a casula. “A estola significa colocar as ovelhas sobre seus ombros, o serviço que vai exercer na comunidade, e a casula é o sinal da solenidade de como vai celebrar na comunidade”, explicou Dom Orani. Também recebeu os Santos Evangelhos e fez a proclamação do Evangelho, pela primeira vez, como pastor da nova paróquia. “O pároco é o primeiro anunciador da Palavra de Deus na comunidade”, lembrou o arcebispo. Após a homilia, ele renovou as promessas da ordenação e recebeu das mãos do arcebispo os símbolos de sua missão, como as chaves da Igreja e do Santíssimo, o batistério e o confessionário.

 

Horizontes da evangelização

Na homilia, Dom Orani disse que a criação da paróquia significa a realização de tantos sonhos, após muito trabalho, tendo à frente a dedicação do padre André Vilar junto  à comunidade. Como todo filho tende a crescer e voar com suas próprias asas, o arcebispo lembrou que, com a chegada do padre Francisco Reinaldo, abre um novo horizonte e todo um projeto de uma nova uma caminhada de presença da Igreja na região.

“A Igreja é dinâmica, se rejuvenesce, vai se renovando. Mesmo antes da capela, já existia o povo que habitava na região e tinha o desejo de ter seu local de culto. Hoje, louvamos a Deus pela criação e instalação de mais uma paróquia. Um novo horizonte que se abre para a evangelização, catequese e  missão”, disse Dom Orani.

“A cidade cresce e as pessoas necessitam escutar a Palavra de Deus, porque têm direito de conhecer Jesus Cristo, enquanto nós temos o dever de anunciar, de proclamar a Palavra do Senhor. Vivemos tempos difíceis e complexos, mas a presença capilar da Igreja faz com que o Evangelho chegue até o coração das pessoas para que, ao encontrar com o Senhor, suas vidas sejam iluminadas e transformadas”, completou o arcebispo.

 

“Em tudo dai graças”

No final da celebração, o pároco da Paróquia Imaculada Conceição, padre André Vilar, começou sua mensagem recordando uma frase do Apóstolo São Paulo: “Tudo concorre para o bem dos que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano de amor” (cf. Rm 8,28).

“É com esta certeza que conduzo minha vida e minha missão! Esta passagem tanto me inspira como me consola, tudo concorre para o bem!       Com um misto de sentimentos, hoje incluo em meu histórico mais um evento singular: entregar à Igreja no Rio de Janeiro uma comunidade desejada, planejada, concebida, gestada e gerada para ser uma paróquia. A 284ª paróquia de nossa querida Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, mais um polo de evangelização, uma fonte que jorra Água Viva, trazendo graça, saúde e paz para esta região”, disse.

“Gratidão! “Em tudo dai graças!” (cf. 1Tes 5, 18). Padre André Vilar continuou: “A Deus que me quis como instrumento, servo e amigo. Nem sempre fui eficaz, útil e fiel, mas não desisti. Por isso reconheço que a misericórdia e a compaixão de nosso Deus fizeram maravilhas em mim e através de mim. Agradeço prostrado ao chão pela minha vida, pela minha família, pela fé, pela minha vocação e pelas missões que me foram confiadas; sou grato, também, pelos erros, equívocos, defeitos e correntes contrárias”.

Padre André Vilar recordou mais duas frases: “Em tudo isso sei que só fiz o que era minha obrigação!” (cf. Lc 17, 10). E também: “Um planta, outro rega, mas é Deus quem faz crescer! O que planta e o que rega são iguais, mas cada um receberá a sua recompensa conforme o seu trabalho. Porque nós somos cooperadores de Deus” (cf. 1Cor 3).

“O Plano de Deus é magnífico! Ele tudo nos deu em seu Amor, por isso promissora será a colheita, esta servirá para a maior honra e glória de Deus, para o bem da Igreja e para a salvação das almas!”, disse.

“Como é bom o Bom Deus”, evidenciou padre André Vilar, dando boas-vindas aos padres Francisco Reinaldo e André Luiz.

“Obrigado a todos os que nos antecederam, em especial os pioneiros freis Dino e Jorge, da Paróquia São Francisco de Paula, na Barra da Tijuca, que marcaram a presença da Igreja aqui no Recreio dos Bandeirantes. Parabéns família paroquial da Imaculada Conceição, cumprimos bem nossa missão. Fiquemos atentos aos novos desafios”, disse.

Padre André Vilar concluiu sua mensagem, partilhando: “Declaro meu amor às comunidades que gerei para a Igreja: Santa Paulina e São João Paulo II, e a querida Comunidade São Tarcísio, jovem e intrépida: Coragem! Avante! O Senhor é por nós! Minha gratidão a todos sem exceção!”.

 

“Tomam posse de vosso pároco”

Na sua mensagem, o pároco da Paróquia São Tarcísio, padre Francisco Reinaldo, fez vários agradecimentos, em especial a Dom Orani, “pela sua confiança, amizade, paternidade e cuidado pastoral em me escolher como seu colaborador nessa desafiadora missão de apascentar o rebanho que passa a formar a família da Paróquia São Tarcísio”.

Padre Francisco Reinaldo fez também um agradecimento ao padre André Vilar, extensivo à comunidade paroquial da Imaculada Conceição.  “A sua condução segura e serena dessa transição, padre André Vilar, nos trouxe até esse momento e nos permite hoje ser testemunhas de que quando nos doamos com amor sincero, Deus ali age e está nos abençoando e conduzindo, fazendo frutificar o labor de nossas mãos. Sua diligência, atenção, paciência, caridade, amizade e tantos outros dons são perceptíveis em cada detalhe desse dia. Obrigado por tudo de todo o meu coração”.

Ao concluir sua mensagem, padre Francisco Reinaldo dirigiu-se aos seus paroquianos: “Amados filhos e filhas de São Tarcísio, somos agora uma paróquia, nascemos grandes e já cheios de desafios a serem enfrentados e vencidos”.

Recordando o que Dom Orani proferiu no dia da sua posse na Arquidiocese do Rio, em 2009, quando disse que mais do que ele estar tomando posse na arquidiocese, eram os arquidiocesanos que estavam tomando posse dele, padre Francisco Reinaldo evidenciou: “Hoje ouso repetir essas palavras inspiradas de nosso arcebispo, pois pretendo viver o meu pastoreio à frente dessa comunidade paroquial desse mesmo modo. Que sejam vocês a tomarem posse de vosso novo pároco, o primeiro”.

E concluiu: “Temos um lindo desafio pela frente, e todas as forças vivas que quiserem se achegar a nós são muito bem-vindas desde que venham para somar e multiplicar, para servir e se doar, em favor de Deus, em cada irmão próximo. Contamos com todos vocês”.

História da comunidade

A comunidade, hoje Paróquia São Tarcísio, nasceu a partir da fundação do Círculo Bíblico Semente do Amanhã, que realizava seus encontros na casa de Maria José e Barbosa.

Em 2004, no período da Quaresma, o pároco da Paróquia Imaculada Conceição, padre André Vilar, realizou a Via-Sacra pela primeira vez nas ruas daquela pequena comunidade, ainda sob o título de Comunidade Nova Aliança. O número de participantes remonta à passagem de Lc 10 (A missão dos 72 discípulos): 72 pessoas (homens, mulheres e crianças) participaram daquela caminhada de oração.

O término da Via-Sacra foi um momento forte para aquelas pessoas. Ao passarem pela Rua dos Eucalíptos, diante de um terreno coberto de mato, padre André, em seu coração, elevou uma prece a Deus para que a semente lançada firmasse raízes e desse bons frutos para a glória de Deus.

Feitas as preces, padre André jogou água benta e uma medalha de São Bento no terreno. Na mesma ocasião, foi cedido um pequeno espaço (um bar desativado), para que a comunidade pudesse se reunir, e, assim, a comunidade foi crescendo a cada dia.

Em 2005, tendo em vista o lema paroquial: “Quem acolhe um irmão, acolhe Cristo no coração – Expansão e Ampliação”, a comunidade mãe lançou para seus fiéis o desafio da aquisição do terreno, para que a Palavra de Deus fosse levada para o outro lado da Avenida das Américas.

Desde então, todos os esforços foram empreendidos para a aquisição desse terreno. O que era um sonho se tornou realidade.

Após ter sido vendido por três vezes, a Paróquia Imaculada Conceição conseguiu comprar o terreno que, por obra e graça divina, era o mesmo da água benta e da medalhinha de São Bento.

Era preciso um padroeiro. Os fiéis foram convocados para que pudessem escolhê-lo. Entre os candidatos: São Gabriel, São Martinho de Lima, São Lucas e São Tarcísio. Depois de  explanação sobre a vida de cada santo, a comunidade escolheu São Tarcísio como seu intercessor junto a Deus, que deu a própria vida pela Santa Eucaristia.

 

Carlos Moioli

 

Categorias