Dom Orani: ‘Natal é proximidade, simplicidade e alegria, e nos impulsiona à evangelização e à missão’

“Natal é proximidade, simplicidade e alegria, e nos impulsiona à evangelização e à missão”, disse o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, ao presidir a Solenidade do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, a tradicional Missa do Galo, na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Centro, na noite do dia 24 de dezembro.

“Nessa noite santa bendizemos a Deus pela proximidade do Senhor, pela simplicidade que é tê-Lo entre nós. Que possamos celebrar essa presença de Deus conosco que nasceu e nasce no meio de nós, em nossa vida, que é luz para os nossos caminhos, é vida para a Humanidade”, acrescentou.

No início da celebração, Dom Orani permaneceu diante da imagem do Menino Jesus na manjedoura, colocado ao lado do altar, e acompanhou a leitura do “Anúncio do Natal”, ou “Kalenda”, que é uma recapitulação de toda a história do povo de Israel, lida a partir da encarnação de Jesus Cristo, vista como o centro da história.
No final da celebração, o arcebispo levou o Menino Jesus em procissão até o presépio, montado ao lado do presbitério, e o colocou na manjedoura, ao lado das imagens de Maria e de José.  Na procissão, o arcebispo foi acompanhado pelos fiéis e os concelebrantes, entre eles, o pároco, cônego Cláudio dos Santos.

Na homilia, ao refletir as leituras do dia, Dom Orani destacou a proximidade de Deus para com o seu povo, a encarnação do Verbo, que nasceu de Maria em Belém, a cidade de Davi, cumprindo as profecias feitas aos antigos pais.

“Deus quis ficar próximo de nós. Sempre esteve próximo ao nos criar, a enviar profetas, mas de uma maneira especial em Jesus Cristo, seu filho. Quis tornar-se um de nós para ficar próximo, viver a nossa vida e a nos mostrar o caminho para a eternidade. Nos redimiu dos nossos pecados, dando a certeza dessa proximidade perene, perpétua, eterna de Deus em nossa vida e caminhada”, disse.

Dom Orani evidenciou a alegria dos anjos e, de maneira especial, a dos pastores, os primeiros a ficar sabendo do nascimento do filho de Deus, e que tiveram a experiência de serem amados, perdoados e reconciliados pelo Senhor.

“Não tenhamos medo de Deus. O Senhor veio até nós de uma forma simples ao nascer numa estrebaria, sendo colocado numa manjedoura. Acolhemos seu amor para conosco. Ele veio e vem morar no meio de nós e na nossa vida. Celebramos a memória do seu nascimento, e acolhemos no hoje de nossa vida e de nossa história a sua presença iluminadora que nos enche de alegria”, disse.

Ao destacar o Ano Vocacional Missionário que a arquidiocese é chamada a viver, Dom Orani lembrou que todo o povo de Deus é chamado a anunciar a presença do Senhor como discípulos missionários, semelhantes aos anjos que anunciaram aos pastores, e como a estrela que anunciou aos Reis que vieram de longe.

“Devemos ser aqueles que fazem a experiência de encontrar e permanecer no Senhor na simplicidade de cada dia. De anunciá-Lo aos irmãos e irmãs, contagiando a todos com a alegria que vem de Deus. Não porque não tenhamos problemas, mas porque experimentamos o amor de Deus em nossa vida. Que o nosso anúncio possa levar as pessoas a glorificar a Deus na sua própria existência, como fizeram os anjos, os pastores e Reis do Oriente”, concluiu o arcebispo.

 

Carlos Moioli

Categorias