Sociedade de São Vicente de Paulo

Conferência São José, a primeira do Brasil, completa 150 anos servindo Cristo nos pobres

 

Os 150 anos da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) no Brasil serão comemorados com uma missa em ação de graças na Catedral de São Sebastião, no Centro, no dia 7 de agosto, à 10h, presidida pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta.

A SSVP, uma organização de âmbito internacional composta de leigos, foi fundada, em 1833, pelo Beato Antonio Frederico Ozanam e mais seis companheiros, em Paris, na França, sob as bênçãos do Apóstolo da Caridade, São Vicente de Paulo, também patrono de todas as obras de caridade da Igreja Católica.

A boa semente da SSVP no Brasil, o país mais vicentino do mundo, nasceu no Rio de Janeiro com a fundação da Conferência São José, no dia 4 de agosto de 1872. Hoje, são cerca de 20 mil conferências vicentinas e aproximadamente 158 mil membros.

A origem da fundação da Conferência São José surgiu após as cerimônias religiosas realizadas na capela da Santa Casa de Misericórdia, no Rio de Janeiro, em louvor a São Vicente de Paulo, no dia 19 de julho de 1872.

A proposta surgiu durante um jantar com a presença de padres lazaristas, congregação fundada por São Vicente de Paulo, que na época administrava o Seminário Episcopal São José, no Rio de Janeiro, e mais três leigos que participaram da celebração, Pedro Fortes Marcondes Jobim, Antônio Secioso Moreira de Sá e Francisco Lemos de Faria Coutinho, que tinha o título de Visconde D’Alzezur, um fidalgo a serviço de Sua Majestade, a Imperatriz do Brasil,

Um dos três leigos que já conhecia a obra na França e em Portugal questionou a não existência no Brasil, terra de católicos e profundamente cristã, da presença de uma conferência vicentina, fonte de graças e de bênçãos dos céus.

Um dos sacerdotes presentes, numa inspiração divina, disse: “Fundamos, então, a primeira conferência vicentina. No dia 4 de agosto, data em que se comemora o Dia do Padre, de maneira simples, como simples são as coisas de Deus, nascia no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, no Seminário Episcopal São José, sobre a invocação de São José, a primeira conferência vicentina nas terras de Santa Cruz.

O primeiro presidente foi o confrade Francisco, que nomeou os confrades Pedro Jobim, para secretário, e Antônio Secioso para tesoureiro.

Na primeira conferência, um fato curioso foi registrado para mostrar a grandiosidade das coisas de Deus. Realizava-se a primeira sessão e dela participava como ouvinte um católico de nacionalidade inglesa, e vendo o entusiasmo de todos os participantes e a vontade decidida de visitar os pobres – um dos fundamentos de todas as conferências – ele perguntou admirado: “Onde vocês vão encontrar tanto dinheiro para socorrer a miséria do Rio de Janeiro?” Num gesto simples e profundamente significativo e vicentino, o presidente da sessão apanhou uma sacola e recolheu dos presentes, em segredo, ofertas que somaram nove mil réis. Respondendo a seu interlocutor, disse: “Com esse dinheiro nós vamos socorrer toda a pobreza e miséria do Rio de Janeiro”.

Desde então, os nove mil réis vêm se multiplicando, mercê de Deus, como a multiplicação dos pães e dos peixes narrada no Evangelho, e socorrendo não só a miséria do Rio de Janeiro, mas a pobreza que se espalha pela vastidão da pátria brasileira.

A Conferência São José, como as demais conferências que foram surgindo ao longo do tempo, vem ouvindo os gemidos de milhares de assistidos que atende, à beira da estrada da vida. Há 150 anos, os filhos diletos de Ozanan procuram em terras brasileiras mitigar dores, curar sofrimentos, consolar aflições e enxugar lágrimas.

No final dos anos 1970 a Conferência São José foi transferida provisoriamente da sede do então Conselho Superior do Brasil para a Igreja de Santa Teresinha, na Tijuca, pelo Conselho Central Urbano ao qual era subordinada. A principal razão dessa transferência foi resguardar a conferência primaz do Brasil, pois a mesma passava por dificuldades de membros e chegou a parar suas atividades em 23 de novembro de 1985.

Em meados de 1990, por sugestão de antigos membros, a Conferência São José foi reativada por um grupo de crismandos, que queria vivenciar o seu testemunho cristão. Com a reativação, a conferência foi filiada ao Conselho Particular São Francisco Xavier, vinculada ao Conselho Central Norte, acordo aceito em comunhão com  o Conselho Central Urbano.

Desde então, a Conferência São José continua a se reunir nas dependências da Basílica de Santa Teresinha, situada na Rua Mariz e Barros, 354, na Tijuca.

 

Carlos Moioli

Com informações do confrade André Luiz Barreto

 

 

 

 

 

Categorias